[Relatos] Dia 1 – Bogotá – Catedral de Sal de Zipaquirá

Yo amo a Zipaquirá

Eu cheguei em Bogotá em um domingo, no finalzinho da tarde, e usei este dia para procurar casas de câmbio (que não abrem aos domingos, dica) e para me recuperar das duras horas de viagem. Acordei na segunda-feira por volta das 08h00, tomei café da manhã no hostel e já sai. Como na segunda-feira os museus costumam ser fechados, nesse primeiro dia eu resolvi ir para a Catedral de Sal de Zipaquirá.

Como chegar?
– Taxi: Se você estiver com mais pessoas, podem negociar um valor fechado com o taxista. O passeio sai entre 180.000 COP.
– Agências de viagem: Para quem não quer se preocupar com absolutamente nada, esta é uma opção válida. Vocês podem fechar o tour com uma agência de viagem com transporte, entradas e almoço incluidos. Mas vale lembrar que as agências cobram uns 90.000 COP – aprox R$100,00 – acho caro, mas vai de cada um né.
– Ônibus: Essa foi a opção que eu escolhi e a que sai mais barata. O inconveniente é que você pegará o ônibus, provavelmente no mesmo horário que as pessoas pegam para ir trabalhar. Então já sabem né, mas eu consegui ir sentadinha, e não tive nenhum stress! Acho que vale a pena arriscar..

Para quem for de ônibus..
Eu estava hospedada na Candelária, então, fui andando até a estação de Transmilênio Museo do Ouro, e comprei o cartão com duas recargas (ida e volta). Paguei pelo cartão 2.000 COP e 3.600 COP pela passagem de ida e volta. Passando pela catraca, vocês deverão ficar do lado esquerdo, e pegar qualquer ônibus que pare na Avenida Jimenez. A Avenida Jimenez está a uma estação do Transmilêncio Museo del Oro, então, quase todos os ônibus passam por lá. Desembarque na estação Jimenez, e passe por um túnel subterrâneo que está na esquerda. Este túnel te levará para o outro lado do Transmilênio, é como se fosse uma baldeação, e lá você pegará o ônibus de número B73 que te levará ao Portal del Norte! Desembarquem na parada Portal del Norte, passem pelas catracas, e verão vários ônibus parados com uma plaquinha escrito: Zipa. Podem entrar sem medo, mas se certifiquem de que o ônibus irá para Zipaquira e peçam para descer o mais próximo da Catedral. O custo desse ônibus foi de 4.500 COP o trecho.

Catedral de Sal de ZipaquiráDepois que descer, você terá que caminhar aproximadamente 20 minutos para chegar até a Catedral. Há pessoas que tomam um táxi, mas eu achei o caminho uma gracinha, então, acho que vale a pena!

A Catedral e os preços

A Catedral é uma surpresa gente, e o passeio vale muitíssimo a pena. Funciona todos os dias das 09:00 às 17:30 e os ingressos são comprados na hora na bilheteria do local. Há 7 tipos de pacotes disponíveis.

Cliquem na imagem que ela aumenta! ;)
Cliquem na imagem que ela aumenta! 😉

Eu comprei o P3 que inclui visita guiada a Catedral de Sal, um show de luzes dentro da mina, um filme em 3d e a Rota do Mineiro. Paguei 31.000 COP pelo pacote!

O tour!

Catedral de Sal de Zipaquirá
O início do tour é guiado por um guia da própria catedral que vai te explicando todos os detalhes das construções e o que cada uma representa. O tour começa por 14 esculturas que representam as 14 etapas da Via Sacra. Em seguida, serão guiados a uma cúpula e ao final para o centro da Catedral onde está a maior cruz e a uma escultura que faz referencia a obra de Michelangelo. Depois disso, todos do seu grupo veem o filme em 3D e o show de luzes, que eu particularmente, não vi nada demais. Sendo sincera, achei bem entendiante.

Catedral de Sal de Zipaquirá Catedral de Sal de Zipaquirá

Rota do Mineiro
Tour Rota do MineiroA Rota do Mineiro é um passeio dentro da catedral que é comprada a parte, e que eu achei super interessante. Quem tem fobia, medo de escuro e coisas do tipo, não deve fazer este passeio tendo em vista que em alguns momentos, andamos pelas cavernas com a lanterna desligada, segurando apenas uma cordinha. É bem legal e você entende como é dura a vida dos mineiros! No final, você ainda ganha um salário pelo bom trabalho na mina… obvio que o salário é apenas Sal, afinal, é daí que vem a palavra salário, né?

Eu adorei e acho que vale a pena!

Quando sai da Catedral, comprei um city tour em trem, que te leva por Zipa e no final, te deixa no local mais próximo para pegar o ônibus de volta a Bogotá. Sendo bem sincera, eu dispensaria esse tour no trem, achei super fraquinho, mas o lado bom foi não ter que descer tudo andando. Peguei o ônibus de volta a estação de Transmilênio Portal del Norte, e lá peguei o ônibus em direção ao Museu del Ouro.

Brasil também tá na Catedral, xeeeeeeenti.
Brasil também tá na Catedral, xeeeeeeenti.

Resumo da visita: O passeio vale muito a pena. Eu não imaginava que a Catedral era desse jeito e foi super importante para entender um pouquinho da história da Colômbia. Eu não imaginava e nunca tinha pensado nisso, mas o Sal foi extremamente importante para o desenvolvimento econômico da Colômbia e de outros países. Além disso, o guia vai explicando como é a rotina dos mineradores, e começamos a entender que as coisas não foram tão fáceis assim. A catedral é linda, e com certeza, não deixa de ser uma homenagem aos esforços dos trabalhadores que sempre deram duro. Curtam o passeio, e me contem o que vocês acharam, ok? Assim eu mato a saudade também! :’)

Bogotá – Onde ficar, comer e aprendendo a ser localizar!

Oi gente, preparados para o início dos relatos da Colombia??? *-*

Minha primeira parada foi em Bogotá, por uma questão logística mesmo, já que de lá eu fui para Medellin em ônibus, e em seguida para Cartagena e San Andrés. Bogotá é a maior cidade da Colômbia, com temperaturas baixas durante todo o ano. Apesar de ser uma cidade grande, tem muitas areas verdes e vocês poderão notar isso desde a aterrissagem do avião (isso me surpreendeu, pois eu esperava ter uma visão aérea de muitos prédios, mas na realidade o que se vê é um tapete verde que me deixou maravilhada já que não sou fã das grandes metrópoles).

Como se localizar em Bogotá

Aprendendo a se localizar em Bogotá
Mapa Bogotá

Aprender a andar em Bogotá foi algo que me deixou completamente maluca, e que me rendeu boas risadas, vários pedidos de informação e momentos de “Caraca, acho que vou chorar”. Ok, para alguns pode não ser tão complicado assim, mas eu demorei bastante para entender e não me perder por alí. As ruas em Bogotá não tem um nome como as nossas aqui do Brasil. Em Bogotá, o nome das ruas são o próprio número delas, por exemplo: Calle 1, Calle 2, Calle 3, Calle 4, Calle 5… e por aí vai. As ruas são cortadas por travessas que também são numeradas: Carrera 1, Carrera 2, Carrera 3, etc. Ok, mas porque é tão complicado, Ju? Vejam no mapinha acima que não saia da minha mão por lá:

Andando em BogotaO Cerro Monserrate fica ao Norte, e as carreras vão aumentando a partir dele. Então, quanto mais próxima for uma carrera do Monserrate, menor número ela terá. As carreras são em sentido horizontal. Já as calles são no sentido vertical e vão aumentando da direita para a esquerda. Não sei se o mapa está claro, então fiz um desenho bem básico e amador para que vocês entendam direitinho e sofram menos do que eu sofri:

Explicando assim não fica fácil de entender mas tenho certeza que chegando lá vocês vão tirar de letra se lembrarem desse meu desenho lindo e profissa aí de cima.

Onde se hospedar?

BogotáBogotá tem muitos hotéis de rede e hostels, ou seja, opções para todos os gostos. Eu fiquei hospedada na região da Candelaria por questão de comodidade mesmo. Minha intenção na viagem não era exatamente conhecer a vida noturna, mas todos os pontos turísticos que fossem possíveis tendo em vista que eu ficaria apenas 2 dias em Bogotá, então, me hospedei no centro que é onde estão a maior parte das atrações turísticas. Fiquei hospedada no Masaya Hostel, super bem localizado próximo ao Cerro Monserrate e a Plaza Chorro de Quevedo que é muuuuuuuuuuito amor.

Masaya Hostel BogotáFiquei em um quarto compartilhado com 4 camas, e adorei. Cada cama conta com uma cortininha para dar maior privacidade ao hóspede e com um abajur em cada cama. Pode parecer que não, mas isso faz uma super diferença, amigos. A limpeza do hostel era 10, o banheiro compartilhado também era bom, e as areas de lazer do hostel boas também. Cada noite eles tem uma programação diferente para entreter os viajantes. Em um dos dias em que estive lá teve aula de salsa, e no outro uma dupla tocando ao vivo! Achei bem interessante.

O café da manhã não estava incluído no preço da diária, mas pagando 8.000 COP a parte, você tem direito a ele. O café é bem gostoso e conta com frutas, pão com geleia, suco natural diferente em todos os dias, chá, café, e ovo!

Ah, o wifi era excelente também. Com certeza me hospedaria novamente!

Onde comer?
Como tive apenas dois dias em Bogotá, não pude comer em tantos restaurantes assim. Eu recomendo um restaurante vegetariano localizado na Calle 12B. Não me lembro o nome, infelizmente, mas você paga 10.000 COP e tem direito a sopa de entrada, prato principal que escolher – eu comi arroz de coco, com feijão, hambúrguer de lentilha, salada e banana frita – suco e sobremesa. A sobremesa é simples, mas é uma fruta que tem na Colômbia chamada Uchuva.. uma delícia!

Além deste lugar, eu recomendo a Cevicheria Central que tem um ceviche dos deuses, mas é importante que reservem antes pois costuma estar lotado. Recomendo também o Andrés Carne de Res D.C que é super chevere, e é visita obrigatória para quem visita Bogotá. É carinho mas vale a pena!

Agora, vamos começar o relato, gente! Vão me contando o que acham, sim? 😀

Minha experiência com a Copa Airlines!

Voando com a Copa Airlines

Hoje venho compartilhar com vocês a minha experiência voando com a Copa Airlines. Acho que todo mundo prefere voos diretos na hora de comprar a passagem aérea, porém, por motivos de dolar alto.. estamos procurando voos alternativos na tentativa de baratear os custos da nossa trip, certo? Justamente por isso eu comprei o meu voo de ida e retorno para a Colombia com a Copa Airlines, fiz a famosa conexão no Panamá e não foi um bicho de sete cabeças. Além do mais, paguei um precinho camarada que fez com que o voo valesse ainda mais a pena. Importante ressaltar que a Copa tem oferecido preços sensacionais para o Caribe e Estados Unidos, fiquem de olho viajantes!!

Meu voo era o seguinte:
02Aug Guarulhos – Panamá 03:30 08:29
02Aug Panamá – Bogotá 09:28 11:03
10Aug Cartagena – San Andres 15:55 17:20
14Aug San Andres – Bogotá 12:26 14:30
14Aug Bogotá – Panamá 18:08 19:54
14Aug Panamá – Guarulhos 21:29 06:20

Ao chegar no aeroporto fiz o check-in bem rápido e não tive que enfrentar uma fila quilometrica para despachar a bagagem. A copa operou com o Boeing 737-800, que não é um avião enorme, o que eu considero bem mais comodo. A começar pelo check-in, os funcionários são bem atenciosos, me ajudaram a escolher um bom assento em que não tivesse nenhuma pessoa no assento do meio em nenhum dos voos, e ainda me informaram que o assento da saída de emergência não reclina e recomendaram que eu não sentasse nele. Fiquei bem feliz nessa hora porque eles poderiam simplesmente não ter avisado e eu me lascado na saída de emergência, né? =)

Voando com a Copa AirlinesConforto e Serviço de bordo
Mesmo na classe econômica, a Copa oferece cobertores e travesseiros para todos os passageiros. No voo de ida, como era de madrugada, eles forneceram apenas uma bolachinha e um suco – só não fiquei decepcionada na hora porque meu namorado tinha voado uns dias antes e dito que depois viria algo mais requintado, don’t worry guysss, hahahaha – depois de um tempo, serviram salada de frutas, omelete e panquecas, um bolinho tipo muffin, e danoninho. Veio tudo embaladinho, bem servido, e com data de validade em todos os itens. Outro ponto que achei legal é que na maioria das companhias aéreas quando se voa em classe econômica, os talheres são de plastico. Na copa não, geeeeente!

Mesmo nos voos mais curtos, o serviço de bordo foi bem servido, com pão, frios, saladinha e suco, refri ou água. Realmente não tenho do que reclamar!

Entretenimento
Cada poltrona conta com sua tv individual com diversas opções de filmes, séries e músicas para ir escutando. Tinham filmes bem recentes para ver, mas eu assisti Gran Torino e Pulp Fiction! No voo de retorno, vim escutando as músicas latinas que embalaram as minhas noites na Colômbia, e não são músicas antigas não galera, são aqueles hits do momento mesmo. Para quem deseja umas canciones mais antigas, tem a categoria “Para relembrar” que também tem músicas bem legais e com gostinho da nossa adolescência.

Mas ju, e a escala no Panamá? Conta pra genteeee, vai!
Foi super tranquilo, vão sem medo. Como vocês sabem, o hub da Copa é o Panamá e seus voos geralmente tem uma conexão lá. As conexões são rápidas, e ao desembarcar lá, vocês já sairão na sala de espera sem ter que passar por imigração ou alfândega. Basta procurar o portão de embarque do seu próximo voo e esperar. A espera é tranquila tendo em vista que tem tomada e wifi liberado (Tocumen free ou hotspot free – a Tocumen funciona melhor)

Pontos extras a serem comentados:
* Cada assento conta com uma entrada USB que é uma mão na roda quando estamos sem bateria e precisamos recarregar o celular.
* No voo de retorno para o Brasil, o piloto e os comissários faziam os anuncios em espanhol, inglês e em português. Nosso idioma tá na Copa também, gente!! =)
* Fiquem tranquilos pois a bagagem já irá para o destino final!

Conclusão
Viajar com a Copa não me deu qualquer dor de cabeça, foi um voo agradável, os funcionários foram super simpáticos desde o check-in até o momento em que desembarquei no meu destino, as aeronaves são boas, e realmente não tenho nenhuma reclamação a fazer! Embarquem sem medo, até porque pesquisei antes de viajar e a Copa está entre as 10 companhias aéreas mais seguras para se voar. Olha só, sucessoo hein!

E vocês? Já voaram com a Copa? Como foi a experiência? Recomenda?
Conte para nós!

6 motivos para conhecer a Colômbia

Motivos para conhecer Colombia

Voltei há 2 dias da Colômbia e não consegui pensar em um primeiro post diferente. Foram apenas 12 dias no paraíso colombiano, mas que se tornaram inesquecíveis pela intensidade e receptividade desse povo tão “chevere”. Estou naquele período de “depre pós viagem”, ouvindo as músicas que embalaram minhas noites de “rumbia”, e já planejando voltar. Antes de mais nada, pensar que a Colômbia é um lugar repleto de drogas, dominado pelos carteis e pelas Farcs é a mesma coisa que achar que o brasil é feito só de favelas nos morros e futebol. Se você nunca pensou em conhecer a Colômbia, leia os motivos abaixo com carinho, comece a arrumar as malas e se prepare para uma experiência fantástica.

1 – Café
Se você é amante de café, este é o lugar certo. Até eu que não gosto de café, me entreguei ao café da Colômbia, que por sinal é uma delícia. Não deixe de ir a uma loja Juan Valdez, umas das marcas mais famosas e que é praticamente um starbucks colombiano! Lá você poderá provar café expresso, com leite, malteadas de bolacha com aroma de café (que são uma delíciaaaaaaaa). Além disso, não deixe de provar os grãos de café cobertos com chocolate e trazer de presente para seus amigos. Eu particularmente achei meio esquisito, porque não estamos acostumados a comer café né, mas todos os colombianos acham super “rico”.

2 – Clima
A Colômbia tem todos os climas que você quiser sentir. Há lugares frios como Bogotá, que tem temperaturas baixas durante todo o ano. Medellin que possui um clima agradabilíssimo, quente durante o dia e sereno durante a noite. Cartagena e San Andres com temperaturas por volta dos 34°C o ano todo. Sendo assim, é só escolher o clima que mais te agrada e embarcar na aventura.

3 – “A rumbiar”
Não tenho palavras pra noite colombiana, gente, é sério. Sou uma eterna apaixonada por salsa, reggaeton, bachata e voltei encantada com as baladas deles. Os colombianos são extremamente animados, dançam supeeeeeeeer bem, e é impossível ficar parado, mesmo que você odeie ou não saiba dançar. O termo “a rumbiar” é utilizado por eles como “vamos farrear”, “vamos dançar” e minha dica é, se entregue a noite colombiana e vá rumbiar.

4 – Povo
A simpatia e receptividade dos colombianos foi algo que chamou minha atenção em todos os lugares, mas principalmente em Medellin. As pessoas te ajudam com um sorriso no rosto, te ensinam como se localizar diante das ruas sem nome e travessas, se propõem a te acompanhar em algum lugar caso seja o mesmo caminho que o delas. Nós do Brasil também temos essa fama de receptivos, e confesso que me senti em casa por lá. Mais um ponto pra Colômbia!

5 – Comida
Foi a primeira viagem em que não senti tanta falta da comida brasileira. A comida da Colômbia é uma delícia, bem temperada, e com banana em todos os pratos – delícia. Se for a Colômbia, não deixe de provar as famosas Arepas com queijo que geralmente são servidas no café da manhã, e são super tipicas, a Bandeja Paisa, que é servido com arroz, feijão, ovo frito, carne de porco ou carne moida, banana verde frita, e uma arepa e também uma sopa chamada Ajiaco que é servida com milho. Além disso, prove a famosa limonada de coco, que é divina. voltei querendo mais e planejando fazer aqui em Sampa também, vamos ver se dá certo..

natuchips-platano-verde

Minha outra dica é um salgadinho natural maravilhoso que você pode comprar no mercado, e se chama Platanos verdes da marca Natu Chips. São bananas verdes fritas, e super deliciosas. Já estou com saudades! =(

6 – Praias
Sabe aquele mar azulzinho, calmo e que você consegue ver todos os peixinhos nadando? Pois bem, voltei da cor do pecado e querendo mais desse mar delicioso que a Colômbia tem. Não deixe de ir a Playa Blanca em Cartagena, Santa Marta e também de conhecer as maravilhosas praias de San Andrés!

O slogan da Colômbia é “El riesgo es que te quieras quedar” – o risco é que você queira ficar. Concordo plenamente com esse slogan e digo mais, assuma o risco e conheça esse lugar maravilhoso. Vale muito a pena! Deixo aqui o vídeo de marketing do país e espero que gostem.

Algum dos nossos leitores tem vontade de conhecer a Colômbia ou já conhece? Nos conte sua experiência!